rss
email
twitter
facebook

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Visão

Sonhei acordado,
E tive uma visão,
Era a imagem dela,
De cabelos soltos,
Sobre os ombros nus,
Busto recatado,
Saia nos joelhos,
Lábios sem batom...
Com sandálias simples,
Na descontração,
E uma rosa leve,
Que silenciava, 
Numa caminhada,
Pela sua mão...

Ela me esperava,
Num banco de parque,
Pelo Sol banhado,
Sob o alaranjado,
Daquela estação,
Com o seu cãozinho,
Todo comportado,
Aos seus pés deitado,
Companheiro irmão...

Trazia consigo,
Um livro bem cuidado, 
Todo encadernado,
De poesia nobre,
Escrito por Drummond,
Sabia que essa moça,
Tão conhecedora,
Tão encantadora,
Tinha um gosto bom...

Girava uma rosa,
Duma cor vermelha,
Cor de vida e sangue,
Cor de uma  paixão,
Ameigava o rosto,
Em sonhos, perdida,
Ela se escondia,
Atrás de seu botão...

Quando ela me viu,
Seu olhar sorriu,
E o pequeno cão
Se agitou e latiu.

Ela se levantou,
Nós nos enlaçamos,
Num longo abraço,
Aperto acalorado,
Vindo logo um beijo,
Quente com molhado,
Foi num arrebate,
Que ele, então, saiu! 

Morte da saudade,
Cores na cidade,
Após muito tempo,
Um amor febril!

Sussurros no ouvido,
Trocamos carícias,
Eu lhe dei meu braço, 
Ela deu a rosa,
E essa tarde nossa, 
Com o Sol sumiu...


3 vozes:

Andressa Pereira disse...

Uoooonwww *_*
Não me canso de dizer que o amor é lindo! Tão bom quando essa saudade se resume a nada, esses encontros que parecem ter levado anos para acontecer *_*

Isabela Xavier disse...

Lindo esse poema, senti um clima muito romântico e inebriante.
Essas visões de quando sonhamos acordados são tão intensas que chegamos a vivenciá-las. Ou, pelo menos, assim acontece comigo.
Dá uma vontade enorme de tirar a pessoa do pensamento e viver aquilo ali.

Caramba, adorei o seu último comentário porque, vou te dizer: é exatamente a situação em que me encontro há pouquíssimo tempo. E também não quero esperar pelo empurrãzinho, tenho vontade é de me atirar de cabeça. Na verdade, acho que já até me joguei.

Que nossa queda seja um impulso para voarmos longe.

Beijos!
Isabela

Camila Deus Dará disse...

Que poema lindo, adorei!
Não sei, sempre que leio poemas sobre pessoas que gostam de ler, me faz gostar ainda mais dele.. :)

Postar um comentário