rss
email
twitter
facebook

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Silogismo da Licença Poética


Havia dito que:

"Amar são flechadas que reúnem, matando as metades..."

Não seria, a forma correta, do ponto de vista da sintaxe de concordância, a expressão "amar é uma flecha que reúne..." ao invés de "amar são flechadas..."? 

"Amar" (infinitivo substantivado), no caso acima, vem com ares de poesia, sendo, por isso, uma construção que segue a linha do raciocínio abaixo*:

Amar é tudo nesta vida!
E tudo são flores.
Logo, amar são flores...

De onde surge - com a licença poética - "Amar são flechadas...".

______________________________



*Nota: o silogismo supracitado só existe na alma do poeta, onde uma língua pode voar com inteira liberdade...

_

3 vozes:

Andressa Pereira disse...

Asahsuahshauhsauh
"De onde surge" ?
Ora, a maioria dos poetas escrevem o que ouviram bobamente alguém falar errado, deixa que o amor seja flechadas, que seja flores, que seja o que for, amor é amor e bochechas...bom, isso é um caso a parte não é? ahsuahsua
Beijs!

Camila Deus Dará disse...

Gostei do texto. Gosto de comprar coisas e sentimentos com flores.
Uma vez alguém me disse que via flores em mim, deve ser por isso que gosto tanto da comparação... kkk


Ah, lá em meu blog, já respondi o comentário... Acho que embolei pra responder, estava cedinho quando respondi então não teve muito sentido o que escrevi, mas estava tentando concordar com o que disse, sobre de que adianta viver sem poder ler... Enfim, eu estava concordando. kkkkkk :)

Cynthya Marangon disse...

Adoro comparações diferentes! Hahaha
Beijos, Cyn.
http://ograndetalvez.blogspot.com.br

Postar um comentário