rss
email
twitter
facebook

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Adeus Incerteza


Desisti da incerteza que leva o teu nome.

Desisti de tudo aquilo que me deixou perdido nesta zona cinzenta entre o sonho e o despertar. Nesse lugar em que nada se realiza, mas tudo é possível: e são apenas possibilidades...

Estou tão cansado... Cansado de andar por entre minhas crenças a teu respeito. Cansado de caminhar por entre tuas hesitações espinhosas que me feriram incontáveis vezes... Ah! Como acreditei, nas madrugadas insones, que tu virias quando soubeste que eu te amava...

Andei tanto, por tantos mundos de tantas fantasias... Foram tantas as trilhas, traçadas com lápis de grafite, a espera das cores que nunca vieram - aquarela que nunca pintou um quadro nosso.

A espera pelo teu amor, sem saber se o teria, não trouxe sabor, muito menos cor, à minha vida.

Tudo ficou para um depois muito distante, que pode nunca acontecer, e a dúvida quando se demora num coração torna a esperança insepulta, aumentando, inconseqüente, a sofreguidão...

Impreciso o teu amor por mim, já não preciso mais dele. Hoje, deixo tão somente contigo, em teu nome, toda a incerteza.

3 vozes:

Cibele disse...

Já estava com saudade dos teus textos!
Às vezes é preciso deixar de esperar o telefone tocar. Por que não ligar ao invés de esperar que o telefone toque, não é mesmo?
Nossa felicidade não depende de ninguém. Nós temos que achar dentro de nós a nossa felicidade e sermos essa felicidade.

Beijo na alma

Zen 沈 disse...

sei que não escreveu para mim, mas parece que ouço meu amado flar atraves de vc...

Marcelly Lima disse...

Muito obrigada pelos parabéns (:
Você acaba de ganhar uma nova fã,
seus textos são maravilhosos.

Beijão ( Ps; você me fez ganhar o dia )

Postar um comentário