rss
email
twitter
facebook

domingo, 7 de abril de 2013

Sem Palavras




Frágil, fora nossa paixão,
Tanto que já se sabia:
Sem palavras, estouraria, 
 Qual uma bolha de sabão...

A ilusão, por anos, soprei,
Até findar todo o encanto,
Sentindo arder, num pranto,
       Os olhos que um dia ceguei...    


________

 Imagem: Zuzutop

2 vozes:

Isabela Xavier disse...

Nossa, belíssimo esse poema... Gostei bastante.

As consequências dolorosas de insistirmos em fortalecer uma ilusão. Costumo dizer que o amor, muita vezes, não é cego, mas cínico.
Mas o que é a vida senão uma sucessão de riscos? Melhor viver uma paixão frágil, com muita vontade, do que se abster de tentar.

Beijo!
Isabela

Meel Jacques disse...

Sem palavras é um comentário digno?!

Postar um comentário